Nos últimos tempos apercebi-me que a fome emocional é uma das principais causas que leva muitas pessoas a engordar.

Ter fome emocional, ou seja, vontade de comer, pode ter origem em vários cenários mas no fundo acontece porque estamos a passar um mau bocado nas nossas vidas ou porque há algo que nos inquieta.

O stress, os desgostos, a ansiedade ou até o aborrecimento e a solidão são bons exemplos disso mesmo…

Sabes, com a pressão do dia a dia surge aquele “falso apetite” camuflado de fome…

Normalmente esse “falso apetite” surge de repente e como refúgio para os problemas do quotidiano.

No meu caso, noto que aos Domingos à noite como mais do que o devido e sei perfeitamente que estou perante uma fome emocional devido à nova semana de trabalho que tenho pela frente.

Para quem não consegue distinguir a fome emocional da fome verdadeira, e para quem não consegue parar de comer sem apetite verdadeiro, as consequências são terríveis, pois não só ganhará peso como também deixará de conseguir distinguir a estes dois tipos de fome.

Portanto vale a pena fazer já dessa distinção…

Fome Emocional e Fome Verdadeira

A fome verdadeira traduz-se na sensação física que o nosso corpo manifesta quando precisa de calorias para se manter activo.

Neste tipo de fome tu precisas mesmo de calorias, caso contrário o teu corpo retirará energia da tua gordura acumulada e do teu músculo (correndo assim o risco de catabolizar)

Normalmente este tipo de fome surge gradualmente. Começa com um ligeiro apetite até surgirem sensações físicas mais profundas, como por exemplo dores de cabeça e dores de estômago.

Durante a fome verdadeira consegues pensar e ponderar que tipo de alimentos irás ingerir… tens tempo para processar a ideia de fome e reflectir o tipo de refeição que será mais adequada.

Já a fome emocional surge repentinamente e leva-te normalmente a fazer escolhas alimentares muito más…

Este tipo de fome é acompanhada pela sensação de que tens que comer agora e já!

É um sentimento que tem que ser satisfeito imediatamente, sendo culminado normalmente através de alimentos muito calóricos e ricos em açúcar ou gordura.

Para além disso, na fome emocional não consegues ficas saciada após a ingestão dos primeiros alimentos… e por isso tens que continuar a comer… tal como uma bola de neve.

No final a pessoa sente-se culpada pois sabe que não deveria ser levada por esta vontade de comer e por ter sido vencida pela fome emocional.

fome emocional
O que a fome emocional pode fazer…

E a Fome Compulsiva?

A fome compulsiva é parecida à fome emocional mas diria que vai muito mais além.

A compulsão alimentar é uma doença mental em que sentimos necessidade de comer mesmo sem qualquer tipo de fome ou até mesmo de vontade.

Na compulsão alimentar a pessoa come em quantidades enormes e em pouco tempo, mesmo quando já se encontra satisfeita…

Nos cenários de fome compulsiva comemos muito mais rápido do que o normal, continuamos a comer mesmo saciados e normalmente comemos sozinhos ou em segredo.

E pior… nestes cenários perdemos o controle! Ficamos tão vidrados na comida que chegamos a comer por qualquer motivo.

Entre as principais causas desta fome compulsiva estão as dietas muito restritas que privam as pessoas de certos alimentos e por isso aumentam o desejo de comida.

Gatilhos Mentais da Fome Emocional

Uma das maneiras de evitar a fome emocional é estar muito atento aos gatilhos mentais.

Estes gatilhos são identificados como acontecimentos ou rotinas que tenhas, e que em consequência te levam a comer desnecessariamente.

Então para algumas pessoas esses gatilhos mentais podem ser:

1) Felicidade

Quando acontece algo de bom e gera felicidade, comemoras com comida.

2) Tristeza

Quando estás triste ou algo na tua vida não corre como planeado, recorres à comida como consolo.

3) Raiva e Frustração

As frustrações e as raivas que vamos gerando no dia a dia podem ser descontadas na comida.

4) Tédio

O simples facto de não teres nada para fazer levar-te à comer qualquer coisa.

5) Recompensa

Quando algo corre muito bem e tem que haver uma recompensa, normalmente trata-se de comida.

Um dos exemplos mais frustrantes acontece no sucesso das dietas. As pessoas perdem X quilos e comemoram com um almoço mais “reforçado”…

6) Nervosismo e Calma

Em situações que necessitamos de nos acalmar, por exemplo após uma violenta discussão, recorremos à comida como solução provisória para o problema.

7) Rotina

Quando já tens uma rotina tão enraizada que nem consegues te aperceber da realidade.
Por exemplo, sair do trabalho às sextas-feiras e passar no drive-in para comprar fast-food.

Estes são apenas alguns exemplos de gatilhos mentais que fazem com que comas mal e em quantidades erradas.

Teste. Fome Emocional ou Fome Verdadeira?

Este teste demora cerca de 20 segundos!
Responde agora às questões sem pensar muito no assunto mas fá-lo assertivamente.

Lembra-te que só podes responder uma única vez a cada pergunta.

Boa Sorte!

Como Combater a Fome Emocional

Se o teu resultado foi efectivamente a fome emocional, deixo-te algumas dicas que podes seguir para a combater:

1) Origem

Tenta perceber o que desencadeia normalmente a tua fome emocional.

2) Antecipação

Antecipa um episódio de fome emocional e ocupa-te com alguma tarefa. É importante que faças actividades afastada da comida.

3) Comida SOS

Tem sempre contigo alimentos saudáveis, como por exemplo frutos secos, barritas proteicas ou fruta. Deste modo evitas os ataques às guloseimas.

fome emocional amendoas
Um punhado de amêndoas pode ser a tua salvação

4) Afasta-te dos Supermercados

Não vás às compras em estados de irritação, stress, triste ou deprimido…

5) Dietas Restritivas

Não faças dietas muito restritivas, pois podem desencadear um maior desejo por comidas processadas.

6) Amigo

Tem um amigo/amiga a quem possas ligar e falar durante os episódios críticos e que te dê total apoio.

7) Descansa

Descansa e dorme pelo menos 8 horas de modo a controlares os teus comportamentos alimentares. A fadiga pode conduzir à má alimentação.

8) Exercício

Pratica regularmente exercício ou alguma actividade em que gastes energia significativa.

Lembra-te que este tipo de fome pode levar a ganhar dezenas de quilos e que o 1º passo a tomar para combatê-lo será a tomada de consciência.

Descobre o que te leva a comer sem necessidade, tenta controlar os teus “apetites” e sobretudo as tuas emoções.

Por fim… cria regras alimentares saudáveis e estabelece horários para todas as refeições!

Um abraço,

Luís

P.S.: Se estás a pensar em perder peso, pede-me gratuitamente o teu eBook com os 9 Melhores Alimentos Para Emagrecer. Envio-te na hora e sem qualquer custo!

Pede aqui.

One Reply to “Fome Emocional ou Fome Verdadeira? Faz o Teste”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *